Mostrando todas as notícias dos clubes

Menção da Governadora

Na Conferência Distrital em Cascavel ocorrido nos dias 17 e 18 maio, denominada a "Conferência da Inspiração", o Rotary Club de Foz do Iguaçu-Grande Lago recebeu a Menção da Governadora em duas oportunidades, por ter obtido dois novos membros no programa da Sociedade Paul Harris e a Menção Presidencial no cumprimento das metas estabelecidas pelo Rotary Internacional, além de outros reconhecimentos e premiações, com destaque por ter encaminhado projeto de subsídio global à Fundação Rotária e contribuição per capita para a Fundação Rotária. As metas e desafios cumpridas no ano rotário da Inspiração contemplaram esforços no desenvolvimento do quadro associativo, fundação rotária, imagem pública, projetos humanitários e programas à juventude. Todos os reconhecimentos foram possíveis graças ao planejamento estratégico do clube e ao empenho de todos os associados, familiares e comunidade local, que estiveram inspirados com o ideal de servir. Fica registrado, que o reconhecimento mais importante para o rotariano é ter a oportunidade de servir ao próximo e envolver a comunidade e fazer o bem a quem realmente precisa. Seja a Inspiração.

Postado em 21 de Maio de 2019 por Rotary Club de Foz do Iguaçu-Grande Lago

ROTARY CLUB DE MEDIANEIRA PARTICIPOU DA 45ª CONFERÊNCIA DISTRITO 4640

Dia 17 e 18 de maio, na cidade de Cascavel aconteceu a 45ª Conferência Distrital, maior evento do Distrito 4640, evento este que tivemos a oportunidade de ver o que foi planejado, e o resultado de um ano maravilhoso de trabalho e realizações, que com certeza ficara para sempre em nossos corações é também a oportunidade demostrar que em Rotary, com dedicação, trabalho e entusiasmo, podemos mais. Estiveram participando, os companheiros Narciso Bernardi e esposa Thiany - Aurélio Trento e Esposa Edina - Antonio Guidarini e esposa Elaine - GA Geovano Manenti e Antonio de Jesus Moreira.

Postado em 21 de Maio de 2019 por Rotary Club de Medianeira

Delegada fala sobre cenário da violência contra a mulher

A delegada da Mulher em Toledo, a companheira Fernanda Lima Moretzsohn, ministrou uma palestra durante a reunião ordinária do Rotary Club de Toledo – Centenário nesta terça-feira (21) sobre a questão da violência contra a mulher. A delegada lembrou de conceitos históricos que sempre passaram a impressão de que a mulher nasceu para ficar em casa cuidando dos filhos. “Esses papeis foram atribuídos pela sociedade e tem caráter discriminatório”, analisa Fernanda. Ela também citou que os papéis masculinos são supervalorizados pela sociedade e isso, de certa forma, contribui para aumentar a violência contra a mulher quando esta “passou a buscar o seu lugar na sociedade e os homens ficaram desgostosos. Os movimentos feministas buscaram direitos e aí surge a violência de gênero”, acrescenta a delegada da Mulher. Outra forma de violência é a diferença econômica. Fernanda Lima Moretzsohn lembrou de pesquisas que apontam as mulheres recebendo cerca de 70% do salário de um homem para exercer a mesma função “e isso é um absurdo”. Outro ponto abordado pela delegada é o vínculo afetivo do agressor com a mulher. “Em geral isso acontece porque a mulher cria um vínculo muito forte com o agressor e acaba sendo uma vítima novamente sem perceber. A delegada citou a aprovação da Lei Maria da Penha como um grande avanço na questão da proteção da mulher agredida porque hoje “a lei define as violências e atribui as penas. As medidas protetivas de urgência. A mulher pode solicitar ao delegado, o qual encaminha para o juiz”, aponta Fernanda Lima Moretzsohn. Ainda de acordo com a delegada, a Lei Maria da Penha protege não apenas a mulher, mas o gênero feminino, independente da orientação. Fernanda citou ainda os três ciclos da violência: atenção, explosão (vias de fato, estupro, entre outras agressões) e lua de mel (quando o agressor promete que vai mudar). “A experiência mostra que é cada vez mais grave quando este ciclo se repete e cabe à mulher dar um fim nisso, embora saibamos não ser fácil por questão de vergonha, de necessidade econômica, do receio em não ser aceita pela própria família, entre outros aspectos”, cita a delegada; Ela ressalta que, quando a autoridade policial tem ciência de um fato, é obrigação investigar o caso e a orientação é romper com a relação. Sem citar números, a delegada Fernanda Lima Moretzsohn disse que dentro do Estado do Paraná os números se equivalem quando o assunto é a violência contra a mulher e, em sua opinião, uma das formas de combater isso e mudar a cultura das pessoas é implantar a educação sexual nas escolas, “não para se aprender libidinagem, mas sim para ensinar às crianças sobre consentimento e sobre o respeito ao próprio corpo”, finaliza.

Postado em 21 de Maio de 2019 por Rotary Club de Toledo-Centenário

Localizar site dos clubes